O trânsito na rodovia BR-316 terá mudanças a partir do próximo dia 10 de novembro, para o início das obras de drenagem, uma importante etapa do projeto de Requalificação da BR, executado pelo Núcleo de Gerenciamento do Transporte Metropolitano (NGTM).

Os trabalhos de drenagem iniciarão na pista do sentido Belém-Marituba, entre as ruas Celestino Rocha e Debora Calandrini, numa extensão de cerca de mil metros. Os desvios utilizarão as pistas de concreto do futuro BRT para que possa ser implantada a rede de drenagem. As mudanças foram apresentadas em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (4), no canteiro de obras da construtora do BRT.

A previsão é que os serviços executados neste trecho durem cerca de 90 dias. Durante esse período, a circulação e o acesso aos estabelecimentos comerciais e residenciais estarão assegurados. Uma operação integrada de órgãos competentes do Estado dará apoio na orientação e segurança do tráfego, visando garantir melhor fluidez aos usuários da BR.

Segundo o engenheiro Eduardo Ribeiro, diretor geral do Núcleo de Gerenciamento Metropolitano (NGTM), as obras de drenagem são essenciais para resolver os problemas de alagamentos na pista e bacias no entorno da via.

“A BR que transitamos hoje, onde estão sendo executadas as obras, foi implantada há cerca de 40 anos, época em que a ocupação às margens da rodovia tinha uma densidade populacional muito menor do que a atual, possibilitando que as águas de chuva infiltrassem no solo. Atualmente, isso não ocorre, ocasionando alagamentos com chuvas mais intensas, por isso a importância de um bom sistema de drenagem, que será executado na obra”, explica Ribeiro.

Mudanças no trânsito - Para o início efetivo das atividades de drenagem, serão necessárias intervenções provisórias por trecho. Nesta etapa, duas faixas da rodovia serão interditadas. A terceira faixa da BR, próxima às pistas do BRT, ficará, exclusivamente, destinada ao tráfego de veículos pesados (caminhões, carretas e ônibus) e veículos leves que se destinem a estabelecimentos ou residências às margens da rodovia.

Os veículos pequenos que não necessitem parar no trecho em obras, seguirão utilizando as faixas em concreto na extensão de cerca de mil metros, retornando, após isso, para faixa de rolamento.Comandante geral da PM, coronel Dilson JuniorComandante geral da PM, coronel Dilson JuniorFoto: Marcelo Seabra / Ag. ParáPara garantir a segurança dos condutores e pedestres, agentes do Departamento de Trânsito do Pará (Detran-PA) e da Polícia Militar vão atuar no trecho que será parcialmente interditado.

“Nossa missão é proporcionar total segurança na operação. Vamos estar com quatro equipes, 24 horas, orientando e agindo caso seja necessário”, afirmou o comandante geral da PM, coronel Dilson Junior.

Além disso, serão reforçadas sinalizações (horizontal e vertical) para melhor orientar os condutores. “Trinta e dois agentes vão fornecer todo apoio, dando orientação ao usuário. Vamos trabalhar preventivamente, com painéis luminosos, container, sistemas de monitoramento na via, onde acompanhamos 24h. O Governo do Estado está aqui para fazer toda logística e causar o mínimo transtorno à população”, explica Renata Coelho, diretora do Detran.

Nas faixas de concreto, não será permitida a ultrapassagem entre veículos, que devem seguir na velocidade máxima a 40 km por hora até o final do desvio, no km 5,5, chegando a BR com a Rua Débora Calandrini (pouco antes da passarela de Águas Lindas). Um corredor lateral será destinado à circulação de pedestres e ciclistas. Sinaleiros vão orientar os transeuntes.    

“Com os desvios de trânsito consolidados, daremos início à construção do primeiro quilômetro de rede de drenagem. Esse trecho, de cerca de 1 km, vai receber a rede de drenagem, poços de visita, as caixas de passagem para drenagem, depois vai ser recoberto. Será executada calçada e ciclovia nesse trecho, que já receberá asfalto definitivo”, explica o engenheiro Alberto Matta, diretor de Obras do Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano, NGTM.

Quando forem concluídas as obras de drenagem e pavimentação no sentido Marituba, o trânsito será colocado novamente para a BR-316 e o desvio será utilizado para executar as obras de drenagem no mesmo trecho, mas do sentido oposto da rodovia (Marituba-Belém).

O NGTM orienta que os condutores dirijam dentro da velocidade estabelecida e sigam atentamente a sinalização implantada. Aos pedestres e ciclistas, que procurem atravessar nas faixas e passarelas.

 

 

 

 

Veja Também