A população teve a oportunidade de participar, na manhã desta quinta-feira (23), no auditório do Instituto de Gestão Previdenciária do Estado do Pará (Igeprev), de uma audiência pública para debater sobre o planejamento e construção do Sistema Integrado de Transporte Metropolitano, coordenado pelo Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM). O evento foi também transmitido pelo Youtube do órgão. 

A Audiência Pública faz parte do rito legal para a licitação de linhas do SIT METROLITANO. O intuito é possibilitar que o povo paraense contribua para o funcionamento do novo serviço de transporte público, que está sendo implantado pelo Governo do Pará. Para quem não conseguiu participar presencialmente, a Consulta Pública online, que está disponível desde o dia 9 de fevereiro no site do NGTM e da Agência de Transporte Metropolitano (AGTRAN), segue até o dia 31 de março.

“Com a consulta e a audiência pública estamos coletando contribuições da população usuária do sistema, para que a gente possa criar melhores condições de atendimento pra todos. Essa etapa precede o lançamento do edital de licitação para a contratação de empresas que farão a operação das linhas do Sistema Integrado de Transporte Metropolitano. A expectativa é de que, ainda no primeiro semestre, ele seja lançado. Esse é o maior projeto de mobilidade feito na Região Metropolitana, um componente fundamental para a melhoria da qualidade de vida das pessoas”, destaca Eduardo Ribeiro, diretor geral do NGTM e da AGTRAN.

O operador de transporte alternativo de Ananindeua, Edmilson Branches, afirma que a audiência pública é uma excelente oportunidade para que a população manifeste as suas considerações sobre o projeto. "Sabemos que o BRT Metropolitano é de suma importância para todos os municípios da região. E entendo que o foco é realmente encontrar a solução para a mobilidade da área, que traga benefícios reais para a população. A hora é essa, que a gente do povo se manifeste e verifique se há alguma consideração a ser feita. Estar aqui não é perda de tempo, porque além de operador, sou usuário e esse sistema afetará a minha vida", destaca. 

A cantora Danielle de Amorim, que é cadeirante, pontuou a questão inclusiva do projeto sobre acessibilidade para pessoas com deficiência. “Sou muito grata a Deus por essa oportunidade, porque não é em todos os espaços que a nossa comunidade é representada. Quando vemos um projeto dessa magnitude no nosso município, com uma proposta de acessibilidade, sendo pensada com carinho para nós, pessoas com deficiência, rica de discussões como essa, passamos a ter voz e vez. E estamos aqui para reforçar a importância do sistema de transporte público com inclusão”, diz.

MAIS MOBILIDADE

O Sistema Integrado de Transporte Metropolitano possibilitará a melhoria da oferta de transporte nos bairros dos municípios de Ananindeua, Marituba e Benevides, sem aumentar o número de ônibus no centro de Belém, com redução do tempo de viagem e pagamento de apenas uma passagem, melhorando as condições de mobilidade na Região Metropolitana de Belém.

Clique aqui e entenda mais sobre o sistema

Luziane Solon, prefeita municipal de Benevides, também participou da audiência e ressaltou a importância do projeto integrado. "É um momento muito importante para todos os municípios da Região Metropolitana de Belém, trazendo benefícios muito bem projetado pelo NGTM pra podermos pensar no BRT Metropolitano. Com isso, é possível ter uma integração e a possibilidade de diminuição de ônibus que vão entrar na cidade, o que melhora o trânsito e sem dúvidas, a qualidade de vida das pessoas, que precisam usar o transporte público. Só posso parabenizar o Governo do Estado pela visão estratégica em pensar e executar um projeto audacioso como esse.

 

Texto de fotos: Agência Pará

Veja Também