Quem passa pela avenida Padre Bruno Secchi, antiga Rua Yamada, ou mora às proximidades da via, no bairro do Bengui, em Belém, já percebeu que a avenida possui uma nova estrutura que promove melhorias na mobilidade urbana e infraestrutura viária. A realidade, diferente de três anos atrás, é resultado das obras de requalificação executadas pelo Governo do Pará, por meio do Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM) que busca, entre vários objetivos, melhorar a segurança de todos que trafegam no local, motoristas, ciclistas e pedestres.
 
Ao longo de 4,2 km de avenida, interligando a avenida Centenário à rodovia Tapanã, uma série de medidas vem sendo adotada nesta etapa de obras. Pedestres agora contam com calçadas com acessibilidade, em ambos os sentidos, e faixas de pedestres, algumas com elevação na pista, sendo dois sonorizadores a cada 50 m e 100 m antes para alertar os condutores.
 
 
Motoristas também contam com diversas sinalizações viárias que orientam do início ao fim, inclusive sobre a velocidade máxima permitida na avenida: 60 km/h. Outro público contemplado é o ciclista, com ciclofaixa separada por taxões. Além disso, a nova iluminação pública ao longo de toda extensão da Padre Bruno, promove melhor segurança para todos.
 
O empresário e morador no bairro do Umarizal, Rodrigo Carvalho, de 41 anos, aprova as mudanças.  “Está maravilhoso. É uma obra que beneficiou o ciclista, uma modalidade que vem crescendo cada vez mais e, a galera do patins, já que é um asfalto que dá para patinar e pedalar, valorizando a saúde mental e física do pessoal. Atendeu o ciclista tanto com a ciclofaixa como na iluminação. É muito mais segurança na via inteira”.
 
 
“Uma das maneiras de tornar a pista mais segura para todos que passam por ela é a implantação desses elementos, que são medidas moderadoras de tráfego, como faixas elevadas para pedestres, sonorizadores, sinalização vertical e horizontal, ciclofaixas e calçadas com acessibilidade. Uma estrutura que está sendo instalada pelo Estado e que devem ser obedecidas”, afirma o engenheiro Eduardo Ribeiro, diretor geral do NGTM.
 
 
Ainda segundo ele, outras medidas complementares que visam a segurança da via serão de responsabilidade do município, uma vez que a gestão da avenida Padre Bruno Secchi será devolvida para Belém por se tratar de um corredor de transporte municipal. “O Estado estará inaugurando uma via que respeita todos os seus usuários e espera uma postura de cidadania em relação à ela”, completa o titular do Núcleo.

Veja Também