As mais de 70 mil pessoas que passam diariamente pela BR-316 - principal via de entrada e saída da capital paraense - perceberam as mudanças que estão ocorrendo na rodovia. Isso porque as obras do BRT Metropolitano estão avançando, quando ao longo dos últimos três meses, diversas frentes de trabalho iniciaram ou entraram numa importante fase. Embora a dinâmica das atividades altere a rotina dos usuários da via, o Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM), responsável pela execução do projeto de restruturação dos primeiros 10.8 km da BR, garante as três faixas de tráfego e trabalha para alcançar os benefícios que o projeto trará para a mobilidade urbana e cerca de 2,5 milhões de pessoas.

Há duas semanas, o NGTM concluiu a escavação do primeiro dos quatro túneis exclusivos para o BRT Metropolitano. A Passagem Inferior (P.I) - nome técnico da construção - está localizada no Terminal de Integração de Ananindeua, assim como outro túnel que interligará os ônibus à BR-316, sem impactar o fluxo da via. Da mesma forma que o funcionamento dos túneis, toda a escavação deles não interferiu a rotina dos usuários da rodovia, a partir de uma metologia de engenharia adotada de forma inédita na região que busca minimizar os transtornos.

Outros dois túneis estão sendo construídos de acesso ao Terminal de Integração de Marituba. “As P.Is serão os túneis de acesso dos ônibus do BRT Metropolitano que trafegarão nas canaletas centrais da BR-316 direto para os terminais sem interferir com o fluxo da BR”, diz o engenheiro Eduardo Ribeiro, diretor geral do NGTM. Ainda segundo ele, os túneis variam de extensão de 100 a 160 metros de extensão e possuem altura de 5,5 metros.

Além dessa obra, o cronograma de trabalho segue com uma série de atividades, como a construção do corredor exclusivo no canteiro central que já atinge seis Kms, desde o 3 até o 9.

A previsão é que, já no próximo mês, o trabalho se estenda aos KM 0 a 2, e do 9 até o KM 10.8, passando a entrada da Alça Viária.

 Paralelamente ao corredor do BRT, o NGTM avança nas fundações das passarelas para pedestres em diversos pontos às margens da rodovia. Todas as fundações centrais das travessias que também permitirão o acesso dos usuários do transporte público às estações de passageiros estão concluídas. Ao todo, são 13 passarelas.

O viaduto de Ananindeua, localizado na altura do KM 7 da BR, segue na construção das alças nas duas extremidades, que são as pistas que darão acesso a todos os veículos ao Terminal de Integração de Ananindeua e à avenida Ananin, além de ser uma opção de retorno naquele trecho. Por falar em terminal, em Ananindeua e Marituba entraram na fase de revestimento dos prédios administrativos e plataformas de ônibus. A expectativa é que esses terminais recebam até 4 mil passageiros por dia, além de ofertar postos de serviços e cidadania para a população.

Além das obras civis, o NGTM prossegue com os trabalhos de drenagem, etapa importante para o avanço de outras fases, como a nova pavimentação que a rodovia receberá. O Centro de Controle Operacional (CCO), localizado no complexo do Comando Geral da Polícia Militar, na avenida Augusto Montenegro, está com 85% das obras executadas. O prédio atende critérios de sustentabilidade, com o objetivo de reduzir os gastos no consumo de energia elétrica e água. O Centro concentrará a operacionalização do sistema integrado de transporte.

No mês de julho, o governador Helder Barbalho visitou as obras. Entre as atividades checadas pessoalmente pelo chefe do executivo: os terminais, viaduto, corredor de ônibus e ainda a avenida Ananin - que segue em obras de restruturação, importante para a população do município, contribuindo para a interligação da BR com o conjunto Guajará. E por falar na avenida Ananin, cerca de 85% da drenagem na via está concluída ao longo de 2 km. Com a etapa totalmente executada, será possível avançar com a terraplenagem, asfalto, calçada, ciclofaixa e iluminação pública.

Avanço das obras e alterações na procissão do Traslado de Belém para Ananindeua e Marituba

O avanço das obras do BRT Metropolitano também alteraram o percurso tradicional da procissão do Círio na BR, que ocorre sempre na sexta-feira que antecede o segundo domingo de outubro. Para isso, diretores do NGTM se reuniram com representantes da Diretoria da Festa de Nazaré (DFN) para apresentar alternativas de retorno do evento religioso. Além disso, também foi repassado as condições das pistas devido às obras, tendo em vista que a festa católica atrai muitos devotos, parte deles acessam a capital pela rodovia.

Durante a execução das obras, o NGTM orienta ainda os motoristas a seguirem por algumas vias alternativas para minimizar os transtornos: Entrada na capital - acessar a avenida Independência, avenida Centenário e avenida Pedro Álvares Cabral ou rodovia Mário Covas e avenida Augusto Montenegro ou João Paulo II; Saída da capital - avenida João Paulo II e BR-316 ou avenida João Paulo II, Mário Covas, Independência e BR-316.

Veja Também